Se tem uma coisa que a gente ama é conhecer e contar as histórias das grifes. Sabe por quê? As trajetórias têm sempre fatos curiosos que nos deixam ainda mais apaixonadas por cada detalhe. É assim também com a Balenciaga. A grife nasceu da criatividade e, principalmente, da ousadia de um costureiro espanhol. Quer saber mais?


Neste artigo, você vai descobrir todos os fatos icônicos de uma das melhores marcas de moda do mundo. Além disso, vamos mostrar as bolsas Balenciaga tão desejadas!  Aproveite!

Quem foi o fundador da Balenciaga?

A grife Balenciaga foi criada pelo costureiro Cristóbal Balenciaga Eizaguirre. Ele nasceu em 21 de janeiro de 1895, na cidade chamada de Getaria, localizada na Espanha. Apesar de hoje, a trajetória do fundador ser relacionada à elegância e ao luxo, tudo começou de forma simples. Isso porque Cristóbal era filho de um pescador e de uma costureira, ou seja, o estilo de vida da família era comum, bem longe do universo chique.

O famoso estilista Balenciaga, dono de um talento imensurável.

Os primeiros passos como costureiro

Na época da juventude, Balenciaga viveu o que se tornaria a grande virada de sua história. A marquesa de Casa Torrés o apadrinhou, esse contato fez com que o ele finalmente conhecesse o universo da alta costura. Ainda na mesma época, o costureiro criou seu primeiro look, um vestido. O fato mais surpreendente disso tudo é que Balenciaga tinha apenas 12 anos. Incrível, não é mesmo?

Quando a paixão pela costura virou profissão

Já em 1918, o espanhol se formou como alfaiate. De quebra, ele ainda abriu seu primeiro negócio, um ateliê na cidade de San Sebastian, também localizada na Espanha. O primeiro empreendimento logo se tornou um sucesso, tanto que vieram mais duas inaugurações de ateliês, um em Barcelona e o outro em Madri. Os primeiros clientes de Balenciaga eram pessoas da aristocracia e da Família Real. Puro luxo!

As mudanças causadas pela Guerra Civil

Apesar dos negócios irem de vento em popa, um grande desafio apareceu no caminho do costureiro espanhol: a Guerra Civil Espanhola nos anos de 1936. Com a alta da violência e de tantos outros problemas em todo o país, o jeito foi Balenciaga fechar seus ateliês e buscar abrigo em Londres. Do Reino Unido, ele decidiu se mudar para a França. Talvez, naquela época, o espanhol ainda nem imaginava que o seu maior sucesso nasceria na Cidade Luz.

A França como palco do sucesso de Balenciaga

Na período em que Balenciaga viveu na França, 1937, o país vivia uma forte tendência do nacionalismo. O costureiro, então, — com uma ótima visão para os negócios — resolveu usar essa onda na criação de seus looks. O resultado foi um enorme sucesso entre pessoas da alta sociedade francesa e, também, entre muitas celebridades. Todos desejavam as roupas com recortes e modelagens impecáveis. No mesmo ano, o costureiro abriu sua loja na Avenida V, número 10. O comércio se chamava “A Casa Balenciaga”.

A personalidade forte e icônica de Balenciaga

O costureiro de origem simples era conhecido por ter uma personalidade forte. Ele tinha um modo de viver bastante reservado, era meio avesso às entrevistas para a imprensa. Mas isso não atrapalhava em nada o talento e a verdadeira arte da costura. 

Aliás, Balenciaga tinha uma frase famosa, relembrada até os dias de hoje. Ele dizia que “Um costureiro deve ser um arquiteto do design, um escultor na forma, um pintor na cor, um músico na harmonia, um filósofo na medida”.

Foi com tanto cuidado e amor pelo o que fazia que ele se tornou, também, referência para outros estilistas. A luxuosa Coco Chanel e o elegante Christian Dior foram algumas das personalidades a reconhecerem e a admirarem Balenciaga, embora fossem concorrentes.

Como era o estilo Balenciaga?

O estilista explorava suas origens espanholas para criar artigos de luxo. Isso explica a prevalência da cor vermelha (usada por toureiros) em todas as suas criações. Além disso, Balenciaga se inspirava nas famosas e admiráveis danças flamencas. Muitos pintores também o influenciaram, por exemplo, Diego Velázquez e Francisco Zurbarán.

As principais características do estilo Balenciaga eram as linhas perfeitas, os recortes quadrados, a cintura justa, os quadris com tendências arredondadas. Fora isso, os tecidos de altíssima qualidade e beleza também se destacavam. Falando de modo geral, Balenciaga buscava sempre ousar, ou seja, trazer aspectos mais modernos para a moda.

As coleções criativas e de extremo sucesso

Na onda de criações modernas e únicas, viram as primeiras coleções de vestidos pretos com ombros largos e caimento estreitos, jaquetas que hoje chamamos de oversized e boleros bordados. Tudo isso se deu entre os anos de 1939 a 1946. Nesse mesmo período, ele lançou seu primeiro perfume, o Le Dix. Em 1951, o estilo de ombros largos e cintura sem tanto destaque passou a ser uma forte tendência no mundo da moda feminina.

Mais uma vez, Balenciaga chamava atenção por causa da sua inteligência de negócios

Quando falamos da história da grife Balenciaga, não podemos deixar de contar um fato curioso. A partir de 1956, o estilista e fundador da marca resolveu lançar suas coleções só depois dos grandes desfiles. A intenção era ganhar destaque único, sem ter que dividir a capa de revistas com outras grifes. Além disso, só a Vogue passou a poder fotografar os desfiles de Balenciaga. Ah, e ele ainda precisava aprovar as fotografias. Realmente, jogadas de mestre!

O lançamento de vestidos de sucesso

Em 1957, Balenciaga lançou os icônicos vestidos-camisa, vestidos-saco e vestidos-baby doll. Os dois primeiros tinham a modelagem bem larga, uma tendência moderna para todas as mulheres.

Já o terceiro era caracterizado por pregas e babados que davam um grande volume, principalmente, para a parte da saia. Era levemente parecido com o que conhecemos, atualmente, por vestido balonê. Outras criações de sucesso foram o paletó curtinho e a saia de cintura alta, duas tendências que amamos até hoje, não é?

Vestido volumoso, criação do estilista Balenciaga.

A queda e o renascimento da Balenciaga

Após tanto sucesso, infelizmente, a partir de 1960, a grife já não se destacava como antes. O motivo da queda foram as transformações que ocorriam no vida das mulheres e da sociedade como um todo.

Anos mais tarde, em 1972, o renomado Balenciaga decidiu se aposentar. Em 24 de março do mesmo ano, o costureiro faleceu. Com a morte de seu inventor, a grife ficou ainda mais no esquecimento.

A virada só veio no fim dos anos de 1990, quando o Nicolas Ghesquière, estilista francês foi contratado para repaginar a marca. O esforço deu certo e a Balenciaga voltou aos holofotes da moda chique e luxuosa.

As bolsas Balenciaga

Dentre tantos artigos lindos, modernos e de altíssimo luxo da Balenciaga, as bolsas femininas se destacam! Afinal, o estilo moderno e as cores versáteis são dão um toque especial para qualquer look. Foi pensando em tudo isso que separamos quatro bolsas Balenciaga incríveis. Você vai amar! Veja!

Bolsa Balenciaga Bege com Ferragens Bronze

Você não dispensa uma bolsa de luxo bege? Essa diva, então, é a sua escolha certa! A cor suave combina com tudo, seja para o trabalho ou para momentos bem especiais. Sem contar que o espaço interno é amplo para você poder levar tudo o que quiser com conforto, estilo e elegância!

Bolsa de Luxo Balenciaga Bege para qualquer momento.

Bolsa Balenciaga Preta com Alça Longa

A bolsa preta é outra peça-chave para qualquer closet. Esse modelo com alças longas pode ser usado nos ombros ou transversalmente. Assim como a bolsa anterior, esta também tem material de couro e metal dourado. Aposte nesse acessório de grife lindo para muitas ocasiões!

Para quem preza pelo estilo básico, essa bolsa de luxo Balenciaga preta é a melhor escolha.

Bolsa Balenciaga Lindinha

Agora, se você não dispensa estampa, esta bolsa Balenciaga vai te conquistar! Isso porque ela tem um estampado floral em cores claras, o que contrasta com os detalhes em tom terroso. Sem dúvidas, é o acessório perfeito para você ir trabalhar, passear, viajar, etc!

Estampada, delicada e romântica, essa bolsa de luxo Balenciaga é simplesmente indispensável!

Clutch Balenciaga

Uma bolsa mini também não poderia faltar aqui! A Clutch Balenciaga Preta é ideal tanto para o dia quanto para a noite. Ela foi feita com tamanho exato para você levar somente o necessário de jeito prático, moderno e elegante. Aproveite para criar looks com jeans, vestidos lisos ou estampados, sandálias e sapatos e muito mais. Afinal, essa clutchzinha diva fica ótima com tudo!

A gente não disse que a história da Balenciaga é cheia de fatos curiosos e surpreendentes? Gostou de conhecer? No site Peguei Bode, você encontra bolsas femininas e outros artigos de luxo dessa marca apaixonante! Tudo com preços imperdíveis. Não perca tempo e aproveite a melhor oportunidade para dar aquele up no seu closet!
Para mais dicas de moda, continue aqui pelo blog Peguei Bode!


Para mais dicas de moda, continue aqui pelo blog Peguei Bode!

Qual mulher não ama usar um look todo Coco Chanel? As roupas, sapatos, perfumes e bolsas de luxo chamam atenção por onde passam. Mas, já parou para pensar como tudo começou?

Se você também é fã dessa grife poderosa, precisa conhecer toda a trajetória de sucesso dela. Já podemos adiantar que a história é repleta de fatos surpreendentes! Curiosa para saber todos os detalhes? Descubra tudo a seguir!

Gabrielle Bonheur Chanel – A criadora de uma das marcas mais luxuosas do mundo

Para contar a história de uma das maiores grifes, precisamos comentar os destaques da vida da criadora, a fina e elegante Sra. Chanel. Resolvemos dividir todos os fatos em uma espécie de linha do tempo. Veja!

Gabrielle Chanel ainda jovem.

Nascimento e infância, os primeiros desafios

Saumur (interior da França), 19 de agosto de 1883, nascia Gabrielle Bonheur Chanel. A menina era filha de Jeanne Devolle, 19 anos, (lavadeira e costureira) e de Albert Chanel, 27 anos, (vendedor de roupas e vinhos). Os primeiros anos de vida foram cercados de pobreza, estigmas e desafios. Para começar, os pais de Gabrielle não eram oficialmente casados, um fato que causava estranheza em uma sociedade, até então, cheia de moral e bons costumes.

Mas, realmente, era só o começo de uma trajetória desafiadora. Quando completou 12 anos, Gabrielle ficou órfã de mãe. A senhora Devolle morreu vítima de asma. Com a ausência da figura materna, o pai, que trabalhava vendendo artigos por várias cidades, resolveu colocar as três filhas (Gabrielle, Julie e Antoinette) em um orfanato de Aubazine, localizado na comuna francesa.

A vida no orfanato

Durante anos, Gabrielle e as irmãs esperaram o pai cumprir o que havia prometido quando as deixou no orfanato: voltar e tirá-las de lá. Mas o fato é que isso nunca se concretizou. O jeito, então, foi aceitarem a rotina cheia de regras dadas pelas freiras do orfanato.

Dizem que as irmãs tinham um jeito frio e distante de todas as jovens do abrigo. Mas, apesar disso, Gabrielle reconhecia um ponto positivo na criação dura. Ela dizia que uma criança revoltada acaba se tornando um adulto mais forte e resistente.

Os caminhos distantes do orfanato e os primeiros empregos

Seis anos após a sua chegada, ou seja, aos 18 anos, Gabrielle foi mandada para um pensionato. Já aos 20 anos, começou a trabalhar. Surpreendentemente, sua primeira forma de ganhar dinheiro era como cantora de um café.

A jovem amava interpretar as músicas “Ko-ko-ki-ko” e “Qui qu’a vu Coco”. Foi por causa dessa segunda canção que Gabrielle ganhou o famoso apelido de Coco. Além disso, ela também trabalhou como costureira, época em que desenvolveu e aprimorou um pouco dos seus insights de moda.

O início da ascensão social de Coco

Apesar da vida profissional, seja como cantora ou costureira entrar nos trilhos, nada disso ainda era suficiente para Coco. A jovem sonhava com muito mais sucesso. Finalmente, a sorte começou a aparecer.

Foi no próprio café, local de trabalho, que Gabrielle conheceu Etienne Balsan, um militar, filho de pessoas importantes do ramo têxtil. A paixão entre os jovens foi arrasadora, tanto que ele logo convidou Coco para dividir o mesmo teto em (pasmem!) um luxuoso castelo.

Coco, cheia de estilo e elegância.

Coco era uma mulher à frente de seu tempo

Era comum a incrível dama ser alvo de comentários e julgamentos da sociedade francesa. É que, naquela época, os costumes eram totalmente recatados e, até mesmo, machistas. Ao contrário disso, Coco era uma mulher ousada, sedutora e com ideias à frente de seu tempo.

Um grande exemplo disso é que, apesar de viver com o militar Balsan, eles nunca oficializaram a união. Um fato que parecia absurdo para uma cultura tão fechada e séria. O segundo fato era ainda mais polêmico. Coco tinha alguns amantes, entre eles, o jovem jogador de pólo, Arthur Capel, mais conhecido como Boy Capel. Aliás, dizem que ele foi o grande amor da vida de Coco.

O primeiro empreendimento no mundo da moda

Tenha sido ou não um amor marcante, o fato é que Capel ajudou a construir os primeiros empreendimentos de Coco. O jogador de pólo emprestou dinheiro para que ela, então, conseguisse abrir sua primeira loja de chapéus em Paris, em 1909. O estilo minimal dos acessórios logo chamou atenção da finíssima sociedade parisiense. A partir disso, Gabrielle deslanchou.

Quatro anos depois, abriu mais duas boutiques, uma em Paris mesmo e a outra em Deauville. A essa altura, ela já se dedicava totalmente à vida de estilista. Já em 1920, ela adquiriu um ponto comercial na badalada Rua Cambon, número 21 que, anos depois, mudou para o número 31. Um ano depois, ou seja, em 1921, Coco lançou o famoso e desejado perfume Chanel Nº. 5. Uma curiosidade: o cinco era o número de sorte da estilista.

Uma nova era para as mulheres francesas

As criações de Coco transformaram a moda feminina. Isso porque a estilista adorava um estilo mais básico, minimalista, muito diferente de roupas e joias extravagantes da época.

Mas o fato é que as ideais da jovem de origem humilde se espalharam Paris afora. As mulheres começaram a substituir corpetes por peças retas e leves. Vestidos cheios de babados por modelos tipo tubinho preto, etc.

Outro ponto muito curioso da moda de Coco é que ela adora misturar tendências de roupas femininas com masculinas. Mas isso também acabava gerando mais julgamentos por uma parte da sociedade. Só que com tanto sucesso já, Coco se importava menos ainda com os comentários.

As consequências da Segunda Guerra Mundial

A Segunda Guerra Mundial trouxe grandes mudanças para muitas pessoas, inclusive, para Coco. Após anos vivendo um grande sucesso, ela precisou fechar as portas de seus empreendimentos, em 1939, durante a batalha mundial. O lugar escolhido como refúgio foi a Suíça. Aliás, algumas biografias contam que Coco foi apontada como cúmplice de muitos alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Um fato, sem dúvidas, cheio de polêmicas.


Anos mais tarde, já em 1950, a grande guerra já tinha terminado. Só que, no mundo da moda, as tendências extravagantes voltaram com tudo, como, por exemplo, os artigos da Dior. Foi aí que, surpreendentemente, Coco se reergueu e voltou a fazer sucesso com seu estilo minimalista.

Clientela chique e famosa

Assim como nós, muitas mulheres também foram grandes fãs da Coco Chanel. Entre elas, a atriz Marilyn Monroe que, uma vez, disse não dormir sem passar o icônico Chanel Nº 5. E a ex-primeira dama dos Estados Unidos, Jacqueline Kennedy que amava usar os clássicos vestidos básicos desenhados por Coco.

O então presidente John Kennedy e a primeira dama Jacqueline Kennedy. Ela usava um vestido Chanel. A foto é do trágico dia em que o político foi morto a tiros.
A inesquecível atriz Marilyn Monroe que adorava o perfume Chanel Nº. 5.
O clássico perfume Chanel Nº. 5.

Os últimos anos de Coco Chanel

Longe do glamour e do holofote, Coco morreu sozinha em um quarto de hotel, em 10 de janeiro de 1971. Ela tinha 88 anos e, segundo algumas biografias, ela disse a uma das camareiras que o fim da vida de uma mulher até pode ser solitário, mas jamais sem luxo.

A mulher forte e elegante nunca apareceu mal vestida. Pelo contrário, ela estava sempre linda, fina, deslumbrante. Esse foi um dos grandes ensinamentos de Coco Chanel.

Como todas nós sabemos, hoje, a grife é conhecida e desejada pelos quatro cantos do mundo. Suas bolsas, roupas, calçados, acessórios e cosméticos são muito mais do que produtos. Tudo, na verdade, significa um grande investimento para quem ama a moda!

As bolsas Coco Chanel

Para fechar esse post com chave de ouro e, claro, relembrar a genialidade de Coco Chanel, trouxemos algumas bolsas divas da marca. Dá só uma olhada:

Parece perfume, não é? Mas, na verdade, é a Clutch Bottle. Uma bolsa de luxo Chanel.

A flapzinha metálica é peça-chave para qualquer look. Arrase de dia ou de noite!
Que tal essa bolsa Chanel azul? Uma verdadeira diva para todos os momentos!
Outra bolsa Chanel chique, linda e versátil para todas as mulheres!

Gostou de saber tudo sobre a Coco Chanel? Aproveita e dá uma passadinha pelo site Peguei Bode. Por lá, você pode encontrar vários artigos da Chanel com preços irresistíveis!


Ah, e continue aqui pelo nosso blog… Você não perde por esperar, toda semana, temos grandes novidades, dicas e curiosidades!






Não tem jeito, a marca de luxo mais queridinha do mundo inteiro é com certeza um dos maiores alvos da falsificação, e o motivo não é segredo para ninguém: uma bolsa Chanel virou peça-desejo para muita gente, há décadas e décadas, e por isso, infelizmente as réplicas estão cade vez mais sendo produzidas (quase) perfeitamente. Há diversos sinais no produto, que permitem identificar a autenticidade de uma bolsa.

Eu, Gabi, gravei um vídeo mostrando na prática como fazer a autenticação da sua bolsa e disponibilizei algumas diquinhas extras para não ter erro. Veja só:

Além dessas dicas, existem outras maneiras simples de autenticar uma Chanel, veja só:

Conte a costura – A grife utiliza um número alto de pontos em sua costura, para ajudar a manter a forma original das suas bolsas, uma Chanel original geralmente usa até 11 pontos por painel – a distância de um lado do losango -, já as réplicas costumam a apresentar um número menor de pontos.  

Forro – o forro de uma bolsa original é costurado bem rente ao couro, sem falhar, sobrar tecido ou revirar. Nas bolsas falsas, o forro costuma ficar sobrando ou solto no interior.

Logotipos – Verifique a fonte e a qualidade do carimbo. Muitas réplicas usam uma fonte mais fina e prensam a marca para que ela fique no couro, ao invés de gravar diretamente nele. A posição do logotipo Chanel em relevo é outro recurso que vale a pena conferir, ele deve ficar 1,5 cm abaixo do C acolchoado com a largura dos Cs, o espaço entre eles permanece consistente em 0,9 cm. Além disso, a largura de um logotipo original da Chanel é de 3,3 cm.

Correntes – A famosa corrente com tiras de couro é uma característica das bolsas Chanel e também uma ótima maneira de identificar a falsificação. As bolsas Chanel contemporâneas por exemplo, apresentam tiras de couro dobradas e costuradas em cada elo, por isso é importante inspecionar os detalhes de perto!

Zíperes – A Chanel utiliza a marca de zíper Lampo há cerca de duas décadas em todos os seus produtos, portanto procure o logo dele na parte de trás do metal. Qualquer outra marca de zíper, como YKK por exemplo, já identifica que essa bolsa não é original.

Agora vamos fazer um teste para ver se você já está craque em autenticação da Chanel:

1 – Qual dessas bolsas é a original?

Ok, ok, sabemos que começamos com uma pergunta mais difícil, já que as réplicas estão vindo cada vez mais parecidas com as originais, principalmente quando são olhadas apenas do lado de fora. Porém, se você votou na vermelha, ponto para você!

2 – Qual cartão de identificação é o autêntico? 

Sim, até os cartões de autenticidade vêm em uma bolsa fake, portanto, isso está longe de provar a sua originalidade. 

O cartão original da grife possui apenas alguns detalhes em dourado, já o falsificado coloca em holograma, os seus números e a margem do cartão. Além disso, o tamanho e o tipo da fonte, o tamanho do cartão e o adesivo estão totalmente diferentes. 

Já identificou qual é o original, né?! Sim, o cartão de cima. 

3 – Cartão de autenticidade na costura falso e verdadeiro:

Voltamos a falar de holograma, mas dessa vez ele está na original. Como falamos no vídeo, dentro de todas as bolsas possui o número de série costurado (aquele mesmo que vem no cartão de autenticidade), porém no interior dela, o logotipo da marca é holográfico.

4 – Está vendo a diferença clara entre a original e a falsificada né?!

Sem a menor dúvida a etiqueta da esquerda é a original. É só prestar atenção na costura, no brilho da letra, na distância entre o carimbo da marca, no “made in…” e nos detalhes, que em uma Chanel original, são 100% impecáveis.

E o último quesito básico que você deve levar em conta, é sem dúvida o preço, as bolsas e carteiras Chanel por exemplo, podem variar entre US $ 2.700 a US $ 8.200, ou seja, valores muito inferiores a isso, também são indicativos claros de um produto falso.

Pronto, agora que você já está preparada(o) e totalmente segura(o) para adquirir a sua, entre aqui e confira todas as bolsas Chanel do PegueiBode. 

De toda a moda feminina, as bolsas de grife são as peças mais representativas! Tamanho significado não é para menos, afinal, sejam elas pequenas, grandes, minimalistas ou extravagantes, todas tornam nossa vida mais prática. Sem contar que dão aquele toque especial em todos os looks, não é?! 

Queremos saber de você. Qual a sua bolsa de luxo favorita, aquela que você sempre sonhou em ter ou que não vive mais sem? Para somar à sua coleção, separamos 10 modelos de bolsas femininas DIVAS e, claro, mais desejadas no mundo inteiro.

Curiosa para saber quais estão no topo? Então, confira tudo a seguir!

10. 2.55 da Chanel

A Chanel tem sempre os maiores clássicos de “It Bags”. O grande sucesso é fruto de tudo o que a estilista, Gabrielle Coco Chanel deixou. A história da grife começou em 1909 com o lançamento do famoso perfume Chanel nº. 5. Logo, a grande estilista teve a ideia de lançar bolsas com alças longas para que todas as mulheres tivessem mais praticidade. 

A bolsa de luxo 2.55 Chanel é aquela peça que faltava no seu closet.

A 2.55 é inspirada nos modelos de bolsas usadas por carteiros. O material é de couro de novilho envelhecido e metal dourado. O tamanho compacto é incrível para combinar com looks do dia a e da noite.

9. Saffiano Lux Caramelo da Prada

Quem não ama toda a beleza e glamour da Prada? Aliás, uma grife de família. A primeira loja, fundada em 1913, pelos irmãos Mario e Martino Prada, ficava em Milão. 

O foco do negócio até então era vender somente bolsas e demais acessórios usados em viagens. Hoje, a grife é um grande nome no mundo todo, graças também às sucessoras, Luisa e Miuccia Prada. 

Você ainda não tem uma Saffiano da Prada no seu closet? Essa bolsa de luxo é um charme, definitivamente, indispensável! 

Um dos grandes carros-chefes da Prada é a Saffiano, uma bolsa de luxo de tamanho médio e design sóbrio. O material de couro e a cor caramelo são ótimos para combinar com peças jeans, de cores básicas ou extravagantes. Aposte nessa bolsa para o seu dia a dia ou para divar em viagens!

8. Black Sylvie Animal Studs Leather da Gucci

A história da Gucci começou em 1921, quando o criador, Guccio Gucci, decidiu abrir uma loja para vender acessórios de viagem. Todas as peças já eram de alto padrão e confeccionadas com couro. Não demorou muito para ele começasse a lançar as primeiras coleções de bolsas também cheias de beleza e elegância singulares. 

A Sylvie Animal Studs tem um ar extravagante sem deixar o estilo fino de lado. 

A representante que escolhemos da Gucci é a Black Sylvie Animal Studs Leather, uma bolsa de grife mais extravagante. Os animais em dourado dão um ar surpreendente. As listas verde e vermelha trazem o tradicionalismo da marca.

7. Peekaboo da Fendi

A Fendi é mais uma grife de absoluto sucesso. Tudo começou em 1918, quando Adele Casagrande, fundadora, criou sua primeira loja. Os negócios iam de vento em popa, por isso, foi criada a segunda loja em 1932, já com o título de Fendi. 

Hoje, a grife é conhecida nos quatro cantos do mundo e vive lançando coleções marcantes de bolsas, calçados, óculos e mais.  

Espaçosa, moderna e versátil. Aproveite a Peekaboo, bolsa de luxo da Fendi, um clássico!

Uma das bolsas mais desejadas da Fendi é a  Peekaboo. Você provavelmente já ouviu falar sobre esse modelo, não? Ela é toda feita de couro. Na parte interna, possui dois bolsos, um com zíper e outro sem. A alça dela é curtinha, ou seja, de mão. Mas também vem com uma maior para você usar a bolsa pendurada nos ombros ou transversalmente. Impossível resistir a essa crossbody!

6. Kelly da Hermès

Quando o assunto é bolsas de luxo, não dá para deixar a Hermès de lado. Desde 1837, a grife encanta com suas bolsas divas. Vale o destaque para a diversidade de cores presente em muitas coleções. 

Não dispensa uma bolsa democrática e atemporal? Então, a Kelly da Hermès foi feita para você!

A Kelly é uma peça-chave para todas as mulheres. A forma quadrada é versátil e cai super bem com tudo, desde looks comuns do dia a dia aos mais elaborados para festas e eventos. A parte marrom é feita de couro e a de areia é puro tecido. Um luxo só!

5. Lady da Dior

A Dior reina no mundo da moda. Os perfumes, óculos, maquiagens e bolsas são artigos de desejo. Tanto sucesso foi graças ao talentoso estilista Christian Dior. Em 1949, foi lançado o primeiro perfume da grife. Alguns anos depois, vieram as bolsas lindas, chiques, elegantes, perfeitas mesmo!

Bolsa de luxo de princesa, a Lady Dior é isso e muito mais! Garanta essa bolsa diva para sua vida!

A Lady Dior ou Lady Di é uma bolsa criada em 1995 e, sim, como você já deve tá imaginando, o modelo é uma homenagem à princesa Diana. Você pode encontrar várias cores nessa mesma versão. Trouxemos esta maravilhosa na cor azul, um tom chique e alegre para destacar qualquer look!

5. Baguette da Fendi

Dobradinha da Fendi por aqui! É que a bag Baguette não poderia faltar nessa lista! O nome engraçado é exatamente por causa do pão mesmo, acredita? 

Se você é fã de bolsas de luxo compactas, vai se apaixonar pela Baguette da Fendi!

É que a criadora, Silvia Venturini Fendi, queria um acessório mais prático. A intenção era criar uma bolsa para a mulherada levar a tiracolo ou mesmo debaixo do braço, como um saco de pão. Aliás, esse modelo maravilhoso estrelou o filme Sex and the City, era um dos acessórios prediletos da lindíssima Jessica Parker. Aproveite para divar também com uma das várias versões da Baguette, além de roupas, calçados e outros acessórios de luxo!

4. Classic Flap da Chanel

Outro modelo da Chanel, a Classic Flap é uma peça linda e tradicional. O formato retangular com acabamento matelassê despertam o desejo de toda mulherada!

Procurando uma peça-desejo pequena e prática? Achou! A Classic Flap da Chanel é perfeita!

Sem dúvidas, é uma bolsa de grife marcante, ideal para você levar somente o necessário com estilo fino, elegante e inesquecível! O material dela é de couro caviar. A alça de corrente dá o toque final nos looks.

3. Speedy da Louis Vuitton

A grife francesa, surpreendentemente, começou com a história de uma família de carpinteiros. O jovem chamado Louis Vuitton, nascido em uma aldeia da França, foi aprender a fabricar malas de viagem. Foi o verdadeiro pontapé para a criação de uma das maiores marcas do mundo.  

Clássica, atemporal e versátil. Com a Speedy da Louis Vuitton, você vai divar ainda mais!

Tantos anos depois, a Louis Vuitton começou a fabricar, também, bolsas femininas. A Speedy é um clássico. Você pode encontrá-la em diferentes tamanhos, cores e estampas. Todas são verdadeiras divas para dar o toque final em qualquer dia!

2. Glam Lock da Valentino

Curiosa para saber qual é a bolsa top número um? Calma que já estamos chegando lá! Mas, antes, vamos admirar uma maravilha da Valentino. Esta grife começou sua história na moda graças à talentosíssima estilista, Valentino Garavani, em 1959, na cidade de Milão. 

Os primeiros sucessos foram os vestidos cheios de recortes e babados deslumbrantes feitos para a alta sociedade. Atualmente, a marca tem sapatos, perfumes, roupas, etc.

Sabe aquela bolsa de luxo perfeita para todos os momentos? É a Glam Lock da Valentino. Dá pra resistir?

Para você se apaixonar ainda mais pelas bolsas de luxo, trouxemos a famosa Glam Lock nas cores rosa e verde. O design e as cores são lindos, delicados e românticos. É um acessório básico e compacto para você carregar somente o necessário, seja no dia a dia ou mesmo naquela festa chique!

1. Birkin da Hermès

Chegamos à bolsa de grife mais sonhada! A Birkin da Hermès é uma peça-desejo para mulheres de todas as idades, estilos e culturas. O nome da bolsa de luxo é por causa da famosa atriz e cantora, Jane Birkin. 

A Birkin da Hermès é chique e atemporal, um sonho mesmo!

O que aconteceu foi que a artista disse para o dono da grife, Jean-Louis Dumas, que sentia falta de uma bolsa mais espaçosa. O desejo foi mais que atendido. A Hermès, então, criou a Birkin em um formato tipo saco, material de couro e alça de mão e de ombro. Ela é super confortável, prática e, claro, fica lindíssima com tudo!

Então, agora que você já conhece as 10 bolsas de luxo mais sonhadas, quais as suas escolhidas?


No site Peguei Bode, você encontra bolsas de grandes e luxuosas marcas com preços imperdíveis. Aproveite! E continue de olho aqui no blog, toda semana, temos conteúdos exclusivos e cheio de dicas de moda!

Prada é Prada em qualquer ocasião, época e estilo, não é?! E mesmo sendo uma grife tradicional, fundada em 1913, os designers, principalmente Miuccia Prada, nunca deixaram de inovar em suas coleções. Sem contar que elegância, sofisticação e qualidade sempre foram prioridade para a marca, fazendo com que cada temporada nasça um novo ícone. Então, para te ajudar a escolher uma peça para chamar de sua, hoje trouxemos uma seleção com 7 modelos de bolsas Prada que nunca saem de moda e que valem o investimento. Veja só:

Bolsas Prada

1. Bolsa de Couro Prada Galleria Saffiano

Esse modelo é um dos clássicos da marca. Conhecida também como Saffiano Lux, a bolsa se destaca pelo seu design clean e um interior espaçoso, perfeita para mulheres mais sérias, porém que não abrem mão da elegância e estilo. O modelo conta com a aplicação do logo triangular, alças duplas, zíper para o fecho e uma outra alça destacável de ombros. E como diz o nome, o material é de couro Saffiano, que é extremamente durável, por passar por um processo de revestimento com uma cera especial. 

2. Prada Tote Nylon

Essa bolsa foi uma das primeiras criações de Miuccia Prada, para a linha de nylon impermeável, que mesmo não sendo um material muito convencional em grandes grifes, é um modelo muito elegante, afinal o seu acabamento é em couro cravejado, dando um toque de estilo punk. A bolsa é grande, moderna e estilosa, pode apostar sem medo! 

3. Bolsa de Ombro Prada Cahier

Essa vai para as mais ousadas que tem estilo e personalidade de sobra. Esse design, lançado na coleção outono 2016, e desde então vem aparecendo em todas as coleções, foi baseado em livros antigos, com um formato em retângulo, fecho de fivela, um mix de detalhes em couro e ouro e o seu nome Cahier, que em francês significa caderno. 

4. Bolsa de ombro e nylon Prada

Essa é uma das bolsas Prada mais diferentes. É de uma exclusiva criação feita de nylon da Prada, com um formato retangular e com alças de corrente, lembrando bastante uma Chanel ou Yves Saint laurent, porém com um toque bem chamativo, que é o rosa neon. Achamos ideal para as meninas que gostam de sair do comum e dar um toque de cor ao look com apenas uma peça.

5. Bolsa saco de couro Prada

O modelo por si só já tem feito sucesso faz algum tempo, mas esse da Prada chama muita atenção, pois além de elegante e estiloso, ele é versátil, contando com uma cinta removível de tecido, contrastando com o couro branco. A bolsa, que possui ferragens de ouro, é ideal para compor desde looks casuais como até os mais formais, bastando remover a faixa. 

6. Prada Promenade Bag

Mais um modelo para as clássicas ou que vivem em ambientes mais formais, a Promenade conta com as pontas arredondadas, dando um toque mais retrô para a peça, duas alças curtas arredondadas e uma outra mais longa destacável. Seu tamanho é médio, possui dois zíperes para fecho e bolsos internos. Para as meninas que querem garantir um modelo mais tradicional, indicamos esse!

Bolsas Prada

7. Prada Pionnière Bag

Esse modelo foi desenhado com inspiração na caça rural que antigas famílias européias tradicionais costumavam praticar, relembrando também, quando a grife fornecia artigos de couro exclusivamente para a Família Real. Sofisticação e elegância não faltam nessa peça, um alforje todo produzido em couro de novilho em azul bebê, com detalhes em Saffiano azul marinho, uma alça de ombro destacável e um aviamento Prada em dourado.  Queremos já!

Bolsas Prada

E aí, qual é a sua preferida? Já deu uma olhada nas Bolsas Prada do Peguei Bode? A seleção está imperdível.

Saber sobre a história e o desenvolvimento de uma marca é sempre incrível, ainda mais quando estamos falando de grandes grifes que movimentam o mercado de luxo há tantas décadas. Nós por aqui, além de adeptas, somos fãs do trabalho e admiradoras de tudo o que está por trás de cada uma dessas maisons. E você, também tem essa curiosidade? Se sim, continue com a gente, pois hoje contaremos a história de Gucci, uma das marcas mais revolucionárias da história da moda.

Como começou Gucci:

Guccio Gucci, nasceu no ano de 1881 no norte da Itália, em uma família humilde de fabricantes de artigos de couro. Porém, não muito interessado em seguir os passos do seu pai, em sua adolescência foi viajar pela Europa, passando por lugares como Londres e Paris, onde teve diversos empregos, como por exemplo de garçom, lavador de pratos e concierge. 

Foi quando, ao trabalhar como assistente de elevadores no renomado Savoy Hotel em Londres, que começou a observar a elegância dos hóspedes, onde passou a se interessar pelos desenhos, formatos e estilos das suas bagagens. 

Por volta dos seus 40 anos, Guccio decidiu voltar a Florença, sua cidade natal, carregando a sua nova paixão por moda, estilo e comportamento. O que o fez seguir finalmente o caminho do seu pai e começar uma verdadeira revolução na indústria de artigos de couro, com um coleção de alto padrão.

Incrível, não é?! Para contar essa história melhor, decidimos fazer uma linha do tempo sobre a história da Gucci, veja só:

1921: Em Florença, foi inaugurada a primeira loja Gucci, onde seus projetos inspirados em corredores de cavalos, tornaram-se reconhecidos pelo alto nível de habilidade e qualidade.

1932: Foi nesse ano que Guccio criou o primeiro sapato de vadio com o aviamento caracol dourado, além de uma coleção de laços de bagagens e sapatos diverso, claro, seguindo a inspiração equestre. 

1936: Foi inventada a primeira assinatura Gucci. Novos materiais importados começaram a ser utilizados, e não só o couro – já que a matéria-prima estava escassa devido à sanções contra a Itália -.  

1938: Gucci abre uma loja em Roma, na Via Condotti.

1947: Com o couro ainda muito escasso, agora também pelo motivo da Segunda Guerra Mundial, Gucci inovou e utilizou o bambu japonês nas alças de suas bolsas, o que foi aceito positivamente pela sociedade, sendo aposta de renomadas personalidades da época. E foi então que surgiu a Gucci Bamboo Bag.

1951: Nasce o Rodolfo, filho de Guccio. A primeira loja em Milão é inaugurada na Via Montenapoleone. E a assinatura vermelha e verde vira marca registrada da grife.

1953: No dia 2 de janeiro de 1953 morre Guccio Gucci aos 72 anos, 15 dias antes da inauguração da primeira loja da grife no exterior, no Savoy Plaza Hotel em Nova York. Seus filhos Aldo, Vasco, Ugo e Rodolfo assumem a empresa, expandindo e desenvolvendo coleções.

1955: O icônico GG entrelaçado é inventado e torna-se outra marca registrada de Gucci, sendo adicionada em todos os artigos de couro da grife.

1960: A grife muda de endereço em NY para a Quinta Avenida. Outras lojas ao redor do mundo são inauguradas, como em Londres, Beverly Hills e Flórida. Jackie Kennedy Onassis – mulher de John F. Kennedy – usa a bolsa de ombro da grife, que ficou batizada como “Jackie O Bag”.

1970: Lojas Gucci são inauguradas em Hong Kong, Tóquio e Paris. O primeiro perfume da marca é lançado. 

Década de 80: A coleção prêt-à-porter da Gucci é criada e inaugurada nos desfiles de moda. A empresa enfrenta problemas como, má administração e evasão fiscal que afetam os lucros e a reputação da marca. 

Década de 90: Pouco antes de virar Diretor Criativo da marca, Tom Ford adere ao cargo de responsável pelas roupas femininas da Gucci.

Década 2000: O designer de bolsas Frida Giannini é nomeado como a nova gerente de moda da linha feminina, e tempos mais torna-se Diretora Criativa da Gucci.

Atualmente, liderada pelo diretor criativo Alessandro Michele e seu CEO Marco Bizzarri, Gucci se empenha para redefinir o Luxury for the 21st Century, conquistando um amplo público, além de aderir práticas empresariais responsáveis, apresentando o “Culture of Purpose” um projeto de sustentabilidade de 10 anos, com o objetivo de se concentrar em criações com um impacto socioambiental positivo. 

Tem como não amar a marca? 

E você, já deu uma olhada na nossa seleção Gucci para o PegueiBode? 




As tendências vão e voltam a todo momento, algumas até demoram para reaparecerem, mas têm outras, que em questão de um ano já estão de volta nas passarelas das principais grifes do mundo. Esse é o caso da bolsa transparente feitas em PVC, que atualmente são um sucesso até nas lojas de departamento.

A trend apareceu lá nos anos 2000, mas não teve um retorno positivo logo de cara. Voltou no começo de 2010, mas o resultado foi o mesmo, muita gente torcendo o nariz para aquelas bolsas que deixavam toda a nossa “intimidade” à mostra. Em 2018 apareceram novamente e dessa vez com mais aceitação, mas em 2019 o sucesso veio à tona pra valer. 

It girls do mundo todo têm aderido a bolsa transparente, deixando qualquer look mais atraente, estiloso, moderno e cheio de atitude. Sabemos que para usá-la é preciso pensar bem o que deixaremos à mostra, mas afinal, essa é a graça, não é?! Com elas podemos apostar nos detalhes dos nosso acessórios, como um case novo de celular, uma carteira incrível, maquiagens ou até, para as mais ousadas, alguns produtinhos que causam impacto mesmo, como foi o caso da Gigi Hadid, que apareceu no baile de gala do “The Business of Fashion” do ano passado, com uma garrafa de Champagne dentro de sua bolsa transparente, para promover a nova coleção de ready-to-wear de Brandon Maxwell.

Com tantas idas e vindas da tendência, o acessório já virou “comum” no street style, deixando de parecer uma coisa estranha. Porém, ainda há aquelas que sentem uma certa dificuldade de deixar exposto tudo o que tem dentro da própria bolsa, e por isso, optam pelo truque de styling, colocando uma outra bolsa dentro da transparente, ou optando por deixar os pertence em saquinhos menores, dentro da bolsa principal. 

Truques para usar a bolsa transparente:

E para entrar nessa onda e inspirar vocês a embarcarem na tendência, selecionamos as nossas peças preferidas da temporada. Veja só:

Valentino Garavani Rockstud Spike Transparente

A bolsa Rockstud Spike, da Valentino, foi usada pelas mulheres mais bem vestidas do mundo todo por muito tempo, mas dessa vez, ela veio atualizada e ainda mais divertida. O modelo em PVC, é acolchoado em pregos de pirâmide banhados a platina e conta com um bolso de couro vermelho lava, que garante uma certa privacidade. O modelo também possui uma alça fixa transparente e uma corrente dourada como alça superior.

Confira a seleção de peças da Valentino do PegueiBode.

Chanel Sand By The Sea

O desfile da primavera/verão 2019 da Chanel, teve muita peça com personalidade, sendo uma delas a nova bolsa Chanel Sand By The Sea (Areia à beira-mar). O acessório que tem 25 cm, é feito em PVC com acabamento em pele de cordeiro preto e também conta com o seu tradicional fecho CC assinatura da Chanel. Em seu interior transparente que é todo forrado com couro preto, vem com “areia” (que flui com a bolsa). Ela também possui um bolso na parte de trás, uma alça superior de pérolas e um elo de corrente de ouro entrelaçado com uma alça de couro preta.

Confira a seleção de peças da Chanel do PegueiBode.

Fendi Mon Trésor

A mais nova queridinha da Fendi tem nome, e se chama Mon Trésor Transparent. A bolsa estilo saco veio com acabamentos em couro com cores diferentes, como branco, preto e caramelo e sua icônica impressão repetitiva com o logotipo F na transparência. Também conta com duas alças destacáveis, sendo uma longa e outra mais curta, para ser usada tanto como tiracolo quanto no ombro. Seu material é de PU (Poliuretano) e seu fecho em ouro. 

Confira a seleção de peças da Fendi do PegueiBode.

Para quem procura por uma bolsa de luxo mais moderna sem perder a elegância, esse é o modelo ideal. E você, o que achou?

Que Karl Lagerfeld era um excelente estilista, todos sabem e ninguém nem duvidava do seu potencial, mas se tem outra coisa que podemos dizer de boca cheia que o designer fazia bem, era ser um bom amigo. Karl deixou um legado de amizade, que diga-se de passagem, é um time de peso e conhecido no mundo inteiro, e que graças à ele, surgiu o lindo projeto A Tribute to Karl: The White Shirt Project. Continue com a gente, vamos te explicar melhor!

Karl Lagerfeld disse uma vez, que se perguntassem à ele qual a peça de roupa que ele gostaria de ter inventado, ele diria a camisa branca, já que para ele, essa era com certeza a base de toda a produção. Foi então, que em menos de um mês em que Chanel e Fendi – duas grifes em que dirigiu criativamente por décadas – montaram o memorial “Karl For Ever” durante a Semana de Moda Masculina de Paris no Grand Palais, anunciaram uma nova homenagem ao tão saudoso Lagerfeld. 

Karl For Ever – Grand Palais

A parceria surgiu com Carine Roitfeld – a nova consultora de estilo da marca autoral Karl Lagerfeld -, e o íntimo círculo de amizades do designer, que conta com Cara Delevingne, Diane Kruger, Tommy Hilfiger, Alessandro Michele, Amber Valletta e Takashi Murakami, contribuindo para a criação de novas versões da camisa branca para a marca, onde acreditam que essa seria uma forma única e íntima de cada participante se relacionar com Karl. 

São 7 designers, que produzirão 77 peças, para serem vendidas a 777 euros cada, e isso não é uma mera coincidência, e sim, mais uma maneira de homenagear Karl, que tinha o número 7 como da sorte. As camisas estarão expostas na sede da Karl Lagerfeld na Rue Saint-Guillaume, durante a Paris Fashion Week em setembro. E o melhor de tudo? Toda a verba arrecadada nesse projeto será doada para a instituição de caridade Sauver la Vie, que financia pesquisas médicas na Universidade Paris Descartes, onde Karl apoiou durante muitos anos. 

Estamos ansiosas para ver a coleção! Temos certeza que de onde estiver, ele estará muito orgulhoso e feliz com a iniciativa dos seus amigos.

A Valentino acaba de lançar uma nova bolsa, que promete ser a nova queridinha do momento.

A Valentino está provocando um mistério em torno da sua nova bolsa. A marca fez uma parceria com Janet Mock e o diretor Luke Gilford (conhecido por dirigir videoclipes para Troye Sivan e Christina Aguilera) para lançar três próximos vídeos em conjunto com o lançamento da segunda iteração da bolsa VSLING.

A VSLING deu uma renovada no estilo, e tirou os famosos spikes. É uma bolsa de couro quadrada com ferragens de latão e o interior vermelho cereja de Valentino. Algumas das novas cores da coleção do resort, que foram lançadas on-line esta semana, incluem um rosa bebê, branco e verde-oliva em pelica lisa e granulada.

Tamanho Grande

Aqui você encontra modelos de bolsas Valentino, roupas e todos os produtos

A temporada de fall/winter da Haute Couture 2019 acabou, mas já deixou muitas tendências pra gente acompanhar. Essa edição foi bastante comentada, principalmente pelo fato de diversos desfiles saírem do comum na alta costura, colocando muitas fendas, recortes ousados, comprimentos curtos, cores chamativas e até calças.

E mesmo sendo um evento de moda com outra proposta e acontecendo aproximadamente 3 meses antes das principais semanas de Nova York, Milão, Londres e Paris, a Haute Couture Week nos dá uma prévia de o que está por vir. E a gente, é claro, ficou de olho em tudo! Veja só:

Alfaiataria

A tendência de terno para mulheres já vem há um tempo, mas depois de aparecer na semana de moda, com certeza veremos muito nos red carpets por aí. Givenchy por exemplo apostou na alfaiataria monocromática, já Chanel usou seu clássico tweed para reproduzir o modelo e Dior apresentou em seu desfile diversos looks com blazers e casacos sob medida. 

Animal Print

Sabemos que essa não é bem uma novidade, mas a tendência animal print da vez vai além da oncinha. Diversas grifes se inspiraram no reino animal e colocaram para jogo na alta costura mesmo. Redemption, Ralph & Russo e Dundas, apostaram além dos felinos, na estampa de girafa, já Armine Ohanyan ousou mais ainda e criou estampas com mariposas e teias de aranha.

Um ombro só

Vimos também bastante vestidos em um ombro só nessa temporada de alta costura. Chanel, Ralph & Russo e Elie Saab foram exemplos de grifes que apostaram em modelos mais assimétricos que deixavam um só braço à mostra.

Cores vibrantes

Para quem pensou que outono e inverno + alta costura só teriam tons mais escuros, está muito enganada, esse ano veio bastante cores alegres e vibrantes, com combinações inesperadas. Marcas como Schiaparelli, Giambattista Valli e Valentino, apostaram super nessa onda. 

E aí, o que achou? Já conferiu os nossos posts com detalhes sobre o desfile de alta costura da Chanel e da Givenchy?


A semana de Haute Couture de Paris começou com tudo. O evento esperado o ano todo pelos mais renomados estilistas do mundo inteiro teve início nesse domingo, dia 30 de junho. Hoje, viemos falar sobre os detalhes do desfile de Alta-costura Givenchy Outono/Inverno. Mas antes de mais nada, vamos entender um pouco mais sobre essa temporada de moda?

O que é Alta-costura?

Haute Couture é um título muito cobiçado no mundo da moda, que não é para qualquer um! Pra quem não sabe, apenas quem faz parte da Chambre Syndicale de la Haute Couture, e atende às exigências do Ministry of Industry e da Fédération Française de la Couture é nomeado como estilista de alta-costura. 

Mas quais são essas exigências? Para ter o título, a categoria reivindica rigorosas técnicas, como peças, – que geralmente são vestidos, casacos e alfaiataria – serem produzidas sob medida, feitas à mão e com materiais de excelente qualidade. Além disso, a maison precisa ter o seu próprio ateliê, que esteja situado em Paris, ter uma equipe de no mínimo 20 pessoas e apresentar duas coleções por ano (em janeiro e julho).

Devido ao alto grau de competência e conhecimento exigidos para entrar nessa categoria, os valores das peças são muito altos, sendo cerca de 100 mil dólares as roupas produzidas para eventos diurnos, e podendo chegar até 800 mil dólares em peças mais elaboradas para serem usadas durante um gala a noite. Por isso, atualmente apenas cerca de 4 mil clientes vestem alta-costura no mundo todo, sendo a maior parte deles do Oriente Médio e China. Contudo, vale lembrar que a alta-costura não visa lucros, mas sim um posicionamento de marca.

Grifes permanentes de alta costura, registradas e reconhecidas oficialmente:

  • Chanel;
  • Maurizio Galante;
  • Atelier Gustavo Lins;
  • Bouchra Jarrar;
  • Alexis Mabille;
  • Alexandre Vauthier;
  • Frank Sorbier;
  • Christian Dior;
  • Jean Paul Gaultier;
  • Stéphane Rolland;
  • Givenchy;
  • Adeline André.

Maisons que foram convidados recentemente:

  • Julien Fournié;
  • Serkan Cura;
  • Maison Rabih Kayrouz;
  • Zuhair Murad;
  • Schiaparelli;
  • Rad Hourani;
  • Iris Van Herpen;
  • Em Aura Tout Vu por Yanna Samouilov e Livia Stoianova;
  • Serkan Cura;
  • Yin Ying;
  • Marco Zanini;
  • Béatrice Demulder Ferrant;
  • Ralph e Russo;
  • Hervé L. LeRoux.

Membros estrangeiros com Opps Primários fora de Paris:

Mas vamos voltar para a alta-costura de Givenchy?

Clare Waight Keller, a designer da maison, é razoavelmente novata no assunto alta-costura, embora tenha bastante experiência em prêt-a-portêr. Contudo, não deixou nada a desejar no desfile dessa temporada.

Clare nomeou o desfile de Noblesse Radicale – traduzindo do francês: nobreza radical -, para mostrar um outro lado da monarquia, pois acredita que a vida nos castelos não tem nada de perfeita. Então, colocou em sua coleção elementos com asas, para representar um pássaro preso em sua casa, usou também muitas camadas, rendas, franjas, seda plissada, vestidos de tafetá, silhuetas volumosas e até capas, que lembrassem algo mais fantasioso e metafórico, em um cenário que tem tudo a ver com o tema.

Bem fora do tradicional, não é?! Principalmente para uma semana de Haute Couture. Nós amamos!!! Confira como foi o desfile de alta-costura da Givenchy e conta pra gente o que achou:

Assista aqui, o desfile na íntegra:

Aproveita o clima, e dê uma olhada na seleção Givenchy do PegueiBode.


Você deve ter visto essa semana em algum lugar do Instagram, um super desfile que aconteceu no sul da França, bem no meio de um campo de lavanda. O cenário era perfeito, não era?! Principalmente com aquele tapete rosa infinito, que compunha com uma paisagem única em um céu azul sem nuvens. Pois bem, esse foi o desfile em comemoração aos 10 anos da grife francesa Jacquemus.

Mas talvez você ainda não tenha ouvido falar muito sobre a marca, não é?! Então, viemos contar um pouco sobre a sua história, antes de começarmos a falar sobre o icônico desfile que aconteceu. 

Como surgiu a grife Jacquemus? 

Simon Porte Jacquemus, nasceu no sul da França em uma pequena cidade chamada Mallemort, onde morava com sua família de agricultores. Aos 18 anos, em 2008, foi para Paris estudar na École Supérieure des Arts et Techniques de La Mode (ESMOD). Foi então, depois da súbita morte de sua mãe, que aos 20 anos, Simon decidiu seguir a sua própria carreira como estilista, colocando o nome da grife com o nome de solteiro dela.

Sua marca cresceu repentinamente, aparecendo pelo Fashion Night Out da Vogue em Paris, no ano de 2010 e dois anos depois sendo chamado para participar de uma das temporadas de moda mais famosas do mundo, a Paris Fashion Week.

Atualmente, seu nome carrega uma boa notoriedade no mundo moda, tendo suas coleções,- que costumam ter um corte simples, original e sem muitos detalhes -, em lojas como a Broken Arm em Paris, Dover Street Market em Londres e Opening Ceremony em Nova York. 

Voltando a falar sobre o incrível desfile que aconteceu essa semana, Simon queria causar mesmo, disse que para a celebração dos 10 anos da marca, gostaria de um lugar que parecesse uma pintura de David Hockney ou até um instalação de Jesus Cristo no meio dos campos. Forte, né?! Pois foi basicamente isso o que aconteceu. O desfile encerrando a temporada de moda masculina na Europa, com a apresentação da sua coleção Primavera/Verão 2020 teve bastante camisas estampadas, jaquetas de lona e roupas unissexs. 

E para celebrar, além de um visual deslumbrante e uma experiência única no meio de lavandas em pleno verão europeu, onde o objetivo maior era combinar o sofisticado com o leve, Jacquemus também contou com influencers do mundo inteiro para prestigiar a marca. E claro, tinha brasileiras na área, como Bruna Marquezine e Francesca Monfrinatti, arrasando e representando muito bem o país. 

E você, o que achou do desfile?

O Pegueibode chega a Brasilia com um evento muito bacana!!

Acontecera no dia 27 de Junho

A bolsa Hermes Constance foi criada em 1959, pela designer interna Catherine Chaillet, que deu o nome da bolsa à sua filha. Desde então, o Constance se tornou uma das bolsas mais amadas de Hermes. É uma bolsa vista por muitas celebridades e era uma das favoritas de Jackie O.

A Constance é uma bolsa de ombro, muito elegante com uma longa alça de couro que pode ser dobrada. O emblema “H” no meio é seu recurso mais atraente e vem em opções como hardware dourado, hardware prateado, hardware de paládio ou esmalte em cores brilhantes. Em 2010, a bolsa recebeu um re-design e foi oferecida em um design mais longo e estreito chamado Elan.

Curiosidade: Cada bolsa demora cerca de 14 horas por ser criada por um artesão

Seguem as opções de Tamanhos e a comparação dos tamanhos da bolsa Constance Hermes

Constance SizeDimensions
Constance Micro14cm x 11cm x 3cm
Constance Mini18cm x 15cm x 4cm
Constance 2424cm x 15cm x 5 cm
Constance Elan

Aqui você encontra as opções de bolsas Hermes que temos no Pegueibode CLIQUE AQUI

Os tênis/ sneakers vieram para ficar, pelo menos ficar por um bom tempo!

Desconheço quem não esteja viciada em ficar moderninha, e com muito conforto!!

O look da vez para o inverno será calça de couro com tênis, e te garanto, quanto maior mais na moda você estará!!
Mas para quem ainda não se acostumou com os grandões, existem muitas opções dos “menores”.

Seguem opções de “menores” que combinam com tudo!! Sou suspeita por que uso ate dizer chega ao meu Fendi

Tenis menores
Agora opções dos maiorzinhos

E agora algumas sugestões de como usar no inverno!!!

Chiara Ferragni com tênis Balenciaga
Camila Coelho com tênis Gucci / Thassia Naves com tênis Balenciaga

No PEGUEIBODE você encontra muitas opcões VEJA AQUI COMPRAR TENIS

Essa é uma das duvidas mais frequentes !!!Aonde posso mandar limpar, arrumar ou ate pintar minhas bolsas e sapato!?Nós indicamos a CRC do couro, ou a sapataria Barone.As duas empresas são super cuidadosas e a especialidade em couros.Os preços são altos, mas estamos falando de cuidar de uma bolsa importada né!

CRC do couroR. Santa Justina, 47Sapataria BaroneRua Tutóia, 159 – Vila Mariana